Follow us Follow us Rss Feed
login

Software Livre

Syndicate content
Conteúdo do(a) PSL-Brasil publicado no Software Livre Brasil
Updated: 18 hours 12 min ago

Centro de Competência em Software Livre promove tutorial sobre Desenvolvimento ágil de aplicações SaaS na Nuvem

Thu, 03/09/2015 - 17:07

Centro de Competência em Software Livre promove tutorial sobre  Desenvolvimento ágil de aplicações SaaS na Nuvem

O Centro de Competência em Software Livre (CCSL) do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP promove no próximo dia 22, das 13h30 às 18 horas, um tutorial sobre desenvolvimento de aplicações Web com software livre ministrado pelo Prof. Armando Fox da Universidade da Califórnia em Berkeley.

 

Durante o tutorial os participantes poderão  atualizar seus conhecimentos sobre a produção de aplicações SaaS para a nuvem com o uso de novas tecnologias e metodologias de desenvolvimento.

O palestrante abordará os principais aspectos do desenvolvimento de software moderno e também ferramentas mais produtivas para engenharia de software como Ruby on Rails, Rspec, Cucumber e Javascript.

 

O tutorial terá a duração de quatro horas, com meia hora de intervalo. A inscrição inclui  uma cópia assinada do livro "Construindo Software Como Serviço - Uma Abordagem Ágil Usando Computação em Nuvem" escrito por David Patterson e  Armando Fox, ambos professores em Berkeley.

 

O curso é voltado para alunos, desenvolvedores de software e gerentes de Tecnologia de Informação.

 

As inscrições podem ser feitas pelo site: https://www.eventbrite.com/e/esaas-tutorial-by-prof-armando-fox-tickets-18020094588

 

Sobre o livro "Construindo Software Como Serviço - Uma Abordagem Ágil Usando Computação em Nuvem":  http://www.saasbook.info/translations/br

 

Para mais informações:  esaas.brasil@gmail.com

 

Por Assessoria de Comunicação do NAP-SoL

Software livre vocacionado à administração pública!

Thu, 03/09/2015 - 17:07

Não é de hoje que todos sabem que desenvolver qualquer coisa no setor público é um desafio a mais. Justamente porque, tudo é moroso, lento, burocrático e sofre N resistências pelo caminho, até sua implementação. Essa é visão clássica de qualquer profissional de TI, quando pensa no setor público.

Contudo, essa não é uma visão ou verdade consolidada. Há novos caminhos e o setor público tem sido nas últimas décadas, “early adopter” de tecnologias que só depois chegaram ao mercado. O conceito de webservices por exemplo: foi o governo que desempenhou o primeiro papel nesse segmento, quando lançou serviços da Receita Federal e nos bancos públicos como BB e CEF. A adoção do software livre é outro exemplo que devemos destacar.

O governo lançou a primeira grande software house,a Serpro; e adotou as principais linguagens de programação e ambientes como ferramenta de trabalho. Das quais podemos destacar: java, PHP, Joomla, Plone, Moodle e o Linux.

Todas essas tecnologias juntas e conjugadas criaram diversos serviços para o cidadão e ajudaram a criar cases de sucesso que influenciaram diversos mercados.

Mas voltando aos desafios de se criar software no setor público. No âmbito federal, como já falado nas linhas acima, há diversos cases de sucesso e um histórico rico de implementações e adoções de tecnologias. Tais como a adoção massiva do Linux nos terminais de atendimento do BB, da CEF e na base de desenvolvimento da Receita. A adoção dos formatos de arquivos abertos(ODT),com a suíte de escritório, o LibreOffice. Nas esferas estaduais e municipais, esse mesmo sucesso não se repetiu na mesma velocidade. Porém, a partir do início da década passada esse quadro começou a mudar com os diversos programas de fomento à modernização das prefeituras e adoção da internet como principal canal de comunicação com o cidadão. Nesse quesito, destacamos a influência de iniciativas do terceiro setor, como a Rede de Cidades Digitais.

O conceito de Cidades Criativas, serviu de força teórica para fortalecer as políticas públicas de fomento à informatização de diversas cidades pelo Brasil, a reboque da cybercultura,que se instalou rapidamente na nossa sociedade e que a partir dela passamos a cobrar mais transparência da administração pública,na mesma velocidade que temos acesso à informação,que nunca antes esteve tão acessível a todos. Culminando na atual cultura de se criar webservices que atendam o gestor público e que sirvam de ponte entre ele e os cidadãos.

Portanto, atualmente não é estranho, encontrarmos setores da administração municipal, que funcionam como verdadeiras software houses. Uma cultura, que só foi possível, a partir da popularização e adoção de ferramentas baseadas em software livre. Tendo o Linux e Java como os principais binômios desse fenômeno.

Como exemplo, dessa cultura de se desenvolver os próprios softwares a partir dessa cultura do software livre, podemos destacar a prefeitura de Linux(Lineduc)que roda em todos os computadores da própria secretaria e nas diversas escolas que compõem sua rede de 175 escolas.

Naturalmente, que há um tempo para maturação dessa cultura de empreender o próprio software, mas temos visto que exemplos como da SME de Duque de Caxias, pode servir de farol para diversas outras administrações.

 

Lançado Netdeep Secure 3 - Next Generation Open Source Firewall

Thu, 03/09/2015 - 17:07

A Netdeep anunciou o lançamento da mais nova edição do Netdeep Secure, uma solução de segurança de código aberto, criada especificamente para Pequenas e Médias empresas, que dispensa capacitação especializada em TI.

Com a versão 3.0, o Netdeep Secure é primeira distribução GNU/Linux que possui recursos de um NEXT GENERATION FIREWALL.

Inclui tecnologias de nível empresarial, mas foi projetado especificamente para atender às necessidades de micro e pequenas empresas. Combina a eficiência do premiado antimalware ESET com a proteção de transações online, filtros de redes sociais, auditoria de sites acessados e outras funcionalidades, sem deixar a facilidade de uso exigida por esse segmento.

** Características Técnicas **

Esta nova versão combina o melhor do mundo open source, com funcionalidades interessantes em que podemos destacar:

  • Firewall de Aplicação do Inspeção Profunda de Pacotes (DPI) no nível de kernel para controle de aplicativos recreativos como Facebook, Youtube, Skype, Netflix, etc.
  • Controle de navegação que permite definir políticas de uso e consumo de banda da Internet (ex: bloqueio de sites impróprios, redes sociais, chats, etc).
  • Auditoria e Relatórios gerenciais de navegação, com gráficos e exportação para MS Excel.
  • Proteção aprimorada contra todas as ameaças através dos motores ESET e ClamAV – com proteção de nível empresarial em várias camadas para computadores Windows e Mac e servidores e dispositivos móveis baseados em Android.
  • Um novo console de gerenciamento – que permite aos empresários e seus consultores de TI gerenciarem facilmente a segurança de TI e os dispositivos em qualquer lugar, usando um navegador da Web.
  • Detecção e Prevenção de intrusos: Proteção para servidores e estações de invasores, com um banco de dados para detecção de milhões de ataques e facilidade para criação de novas regras.
  • Conexão Segura por VPN: Conecte escritórios e usuários remotos com segurança, integrando e reduzindo custos com comunicação.
  • Gestão de Rede Sem Fio
  • Autenticação centralizada e transparente
  • Compatibilidade com ambiente virtuais

O software é distribuído sob a licença GPL 2. É possível usar a versão Start ou optar em fazer uma assinatura para obter recursos diferenciados e suporte técnico profissional.

Saiba mais:

Download

Windows 10: um atentado terrorista contra nossa privacidade

Thu, 03/09/2015 - 17:07

Na última semana, o mundo tecnológico parou para celebrar o lançamento da nova versão do sistema operacional dominante no ramo de computação pessoal. A maioria dos veículos “especializados” destacou a fluidez, a interface e os “novos” recursos do sistema – muitos deles, como sempre, já presentes há décadas em qualquer distribuição de GNU/Linux – mas poucos deles pararam para analisar um ponto crucial e importantíssimo sobre o novo Windows 10: a privacidade do usuário.

Um dos sites que se dispôs a fazer tal análise foi o recomendada pela FSF, pois elas respeitam sua privacidade de verdade.

  • Se, mesmo assim, você precisar usar Windows 10, não utilize o sistema com uma conta online e utilize um bom firewall.
  • Entre em contato com o ministério público ou com os órgãos de defesa do consumidor de seu estado e exija que sejam tomadas providências.
  • Fale com algum político sobre esses fatos e exija que sejam criadas leis para regular essa coleta desenfreada de informações.
  • O cerco contra nossa privacidade está se fechando. Infelizmente, talvez o Windows 10 não seja o último capítulo dessa novela.

    Novo Curso de Zabbix: Avançado!

    Thu, 03/09/2015 - 17:06

    É com imensa satisfação que nós da Byte Livre estamos lançando o nosso Curso de Zabbix Avançado!

    Foram meses de trabalho para desenvolver para vocês o que há de mais avançado quando o assunto é Zabbix.

    Este curso tem um foco especial na parte de automação de tarefas para quem lida tanto com grandes, médias ou pequenas redes de computadores, além de um conteúdo inovador como o envio de alertas através do Whatsapp, integração entre OCS Inventory e o Zabbix e monitoramento além da tela com o Raspberry Pi!

    E para comemorar o lançamento, estamos fazendo uma super promoção. Neste mês de Agosto, vamos dar um mega desconto de 30%!

    De R$ 500,00 você pagará apenas R$ 350,00!

    Mas é somente até o dia 31 de Agosto!

    E não para por aí. Realizando a compra, você receberá em primeira mão conteúdos exclusivos que estaremos desenvolvendo sobre monitoramento!

    Para mais informações basta acessar o endereço: http://bytelivre.net/produtos.php#cursos

     

    Valeu pessoal!

     

    Grande abraço!